" SEGURANÇA É UM DEVER DE TODOS "

Seja Bem-Vindo!

Possibilitar que  sua  empresa  possa,  com o  atendimento correto das
determinações das legislações trabalhista, previdenciária e ambiental,
além  de  garantir  a  integridade física de seus empregados, garantir a
proteção  do  patrimônio da empresa, redução dos custos de produção
e diminuição dos riscos em dema

ndas trabalhistas e maior motivação
de   seus  empregados  com  a   consequente melhoria na qualidade e o
aumento da produtividade.

A  nossa  política de atendimento visa desempenhar o nosso trabalho
na  melhoria da  segurança  e  saúde  do  trabalhador  como  um  todo.


A SAÚDE E A INTEGRIDADE FÍSICA DE SEUS FUNCIONÁRIOS
ESTÃO SEMPRE EM PRIMEIRO LUGAR PARA NÓS DA
VALP - CONSULTORIA & ENGENHARIA.


Solicite uma avaliação.

CIPA - Comissão Interna de Prevenção de acidentes (NR-5)

• INSTRUTORES QUALIFICADOS E HABILITADOS:

- Engenheiro Eletricista com CREA / Engenheiro de Segurança do Trabalho com CREA.
- Técnico de Segurança do Trabalho com Ministério do Trabalho e Emprego.
- Bombeiro Civil.

• OBJETIVO:

Formação para designados e membros da CIPA: Representantes do empregador e dos
empregados.
Organização e renovação da respectiva comissão dentro das disposições legais envolvendo
o seu dimensionamento, criação da comissão eleitoral, comunicados aos sindicatos e ao
Ministério do Trabalho; elaboração das fichas de inscrição e cédulas de votação; apuração
dos votos; preparo das atas necessárias, e respectivos registros nos órgãos competentes;
realização do curso de treinamento para os seus componentes e assessoramento
na elaboração do Mapa de Riscos Ambientais.

• CONTEÚDO PROGRAMÁTICO: carga horária de 20 horas

- História da CIPA
- Atribuições dos Cipeiros
- Atuação dos membros na CIPA
- Organização da CIPA
- Riscos Ambientais
- Mapa de Riscos
- Inspeção de Segurança
- EPI - Equipamento de Proteção Individual / EPC - Equipamento de Proteção Coletiva
- Noções Prevenção e Combate a Incêndio
- Acidente do Trabalho
- Consequências dos Acidentes
- Tipos de Acidentes
- Causas dos Acidentes
- CAT - Comunicação do Acidente de Trabalho
- Benefícios Previdenciários para o Acidentado
- Investigação dos Acidentes
- Noções sobre AIDS
- Campanhas de Segurança
- Reunião da CIPA - como se realiza.

Cursos de Instalações e Serviços de Eletricidade (NR-10): Básico / Reciclagem / SEP.

  • INSTRUTORES QUALIFICADOS E HABILITADOS:

 - Engenheiro Eletricista com CREA / Engenheiro de Segurança do Trabalho com CREA.
 - Técnico de Segurança do Trabalho com Ministério do Trabalho e Emprego.
 - Bombeiro Civil.

• CONTEÚDO PROGRAMÁTICO: Módulo Básico: 40 horas / Módulo Reciclagem: 20 horas

• RISCOS ELÉTRICOS

- Situações de Risco; Introdução à segurança com eletricidade.
- Riscos em instalações e serviços com eletricidade; Riscos adicionais.
- Técnicas de Análise de Risco; Acidentes de origem elétrica.
- Medidas de controle; Medidas de Controle do Risco Elétrico.
- Equipamentos de proteção coletiva; Equipamentos de proteção individual; Procedimento para
   inspeção guarda utilização e manutenção dos equipamentos de proteção.
- Normas e procedimentos de segurança.
- Normas Técnicas Brasileiras ABNT, NBR-5410, NBR-14039 e outras.
- Regulamentações do Ministério do Trabalho e Emprego; Procedimentos para as
  rotinas de trabalho. Documentação das instalações elétricas; Responsabilidades.

• PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIOS

- Noções básicas; Medidas preventivas; Métodos de extinção.
- Prática vivencial de prevenção e combate a incêndios.

• PRIMEIROS SOCORROS

- Noções sobre lesões; Priorização do atendimento; Aplicação de respiração artificial;
  Massagem cardíaca; Técnicas para remoção e transporte de acidentados.

• CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

  Complementar de Segurança em Sistema Elétrico de Potência e em suas proximidades:
  carga horária  de 40 horas. / Reciclagem: carga horária de 40 horas.

- Organização do Sistema Elétrico de Potência SEP: Programação e planejamento dos serviços
- Prontuário e cadastro das instalações; - Condições impeditivas para serviços.
- Riscos típicos no SEP e sua prevenção:
- Proximidades e contatos com partes energizadas; Indução; Descargas atmosféricas; Estática;
- Campos elétricos e magnéticos;
- Trabalhos em altura, máquinas e equipamentos especiais.
- Técnicas de análise de risco no SEP; Procedimentos de trabalho: análise e discussão.
- Técnicas de trabalho sobtensão:
- Em linha viva; Ao potencial; Em áreas internas; Trabalho a distância; Trabalhos noturnos;
- Ambientes subterrâneos.
- Equipamentos e ferramentas de trabalho (escolha, uso, conservação, verificação, ensaios).
- Sistemas de proteção coletiva; Equipamentos de proteção individual.
- Posturas e vestuários de trabalho.
- Sinalização e isolamento de áreas de trabalho. Liberação de instalação para serviço e
   para operação e uso.
- Acidentes típicos: análise, discussão, medidas de proteção. Responsabilidades.

 

Curso de Trabalho em Altura ( NR-35 )

INSTRUTORES QUALIFICADOS E HABILITADOS:
Engenheiro Eletricista com CREA / Engenheiro de Segurança do Trabalho com CREA.
Técnico de Segurança do Trabalho com Ministério do Trabalho e Emprego.
Bombeiro Civil.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
carga horária de 8,0 horas / 16,0 horas.

• Normas e Regulamentos aplicáveis ao trabalho em altura.
• Sistemas e procedimentos para trabalho em altura; Análise de riscos e condições impeditivas.
• Riscos potenciais inerentes ao trabalho em altura e medidas de prevenção e controle.
• Equipamentos de proteção individual para trabalho em Altura: Seleção, Inspeção,
  Conservação e  Limitação de uso; Equipamentos de proteção coletiva.
• Acidentes típicos em trabalhos em Altura. Condições inseguras.
• Sistemas, equipamentos e procedimentos de proteção Coletiva.
• Instalação e deslocamento de linha de vida.
• Comentários sobre Instalações de pontos de fixação.
• Comentários sobre utilização de andaimes.
• Sistemas de ancoragem; Utilização de vara de manobra.
• Condutas em situações de emergência, noções de técnicas de resgate e de primeiro socorros.
• Noções básicas de primeiros socorros e Reanimação cardiopulmonar.
• Preenchimento da Análise de Risco e Permissão de Trabalho em Altura.
• Preenchimento da ficha de avaliação; Posicionamentos com o uso do cinto de segurança.

INTERPRETAÇÃO E APLICAÇÃO DO ANEXO (ACESSO POR CORDA) DA NORMA REGULAMENTADORA: NR-35 TRABALHO EM ALTURA.

CURSO SEGURANÇA PARA TRABALHOS A QUENTE ( NR-34 )

INSTRUTORES QUALIFICADOS E HABILITADOS:
Engenheiro Eletricista com CREA / Engenheiro de Segurança do Trabalho com CREA.
Técnico de Segurança do Trabalho com Ministério do Trabalho e Emprego.
Bombeiro Civil.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

34.3.4.1 O treinamento admissional deve ter carga horária mínima de 6 horas, constando de informações sobre:a) os riscos inerentes à atividade;

b) as condições e meio ambiente de trabalho;
c) os Equipamentos de Proteção Coletiva - EPC existentes no estabelecimento;
d) o uso adequado dos Equipamentos de Proteção Individual - EPI.

34.3.4.2 O treinamento periódico deve ter carga horária mínima de quatro horas e ser realizado anualmente ou quando do retorno de afastamento ao trabalho por período superior a noventa dias.

Estudo da NR-34, Item 34.5;
Identificação de Perigos e Análise de Riscos (Conceitos de Perigos e Riscos, Técnicas de Identificação de Perigos e Análise de Riscos, APP e APR - Análise Preliminar de Perigos e Análise Preliminar de Riscos);
Permissão para Trabalho - PT;
Limite inferior e superior de explosividade;
Medidas de Controle no Local de Trabalho (Inspeção Preliminar, Controle de materiais combustíveis e inflamáveis, Proteção Física, Atividades no entorno, Sinalização e Isolamento do Local de Trabalho, Inspeção Posterior para controle de fontes de ignição);
Renovação de Ar no Local de Trabalho (Ventilação/Exaustão);
Ergonomia;
Doenças ocupacionais;
Radiações Não Ionizantes;
Gases e fumos metálicos;
FISPQ.

Atividade com Solda - Riscos e Formas de Prevenção

Rede de Gases (Válvulas e Engates);
Riscos da Solda Elétrica;
Radiações Não Ionizantes;
Gases e Fumos metálicos;
Máquinas de Solda;
Cabos de Solda;
Eletrodos;
Circuito de Corrente de Solda;
Riscos nas Soldas com Eletrodos Especiais;
Riscos nas Soldas com Processos Especiais (Arco Submerso, MIG, MAG, TIG);
Riscos na Operação de Goivagem;
EPI e EPC;
Proteção Elétrica - Quadros, Disjuntores e Cabos de Alimentação;
Uso e cuidados no manuseio de lixadeira e maçarico.

MEIO AMBIENTE TRABALHO NA IND.DA COSNTRUÇÃO ( NR-18 )
Curso Admissional de Saúde, Segurança do Trabalho e Meio Ambiente na Indústria da Construção (NR-18) 

• CURSO ADMISSIONAL DE SAÚDE, SEGURANÇA DO TRABALHO, E MEIO AMBIENTE 
NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO (NR-18.28.2).

INSTRUTORES QUALIFICADOS E HABILITADOS:

Engenheiro Eletricista com CREA / Engenheiro de Segurança do Trabalho com CREA.
Técnico de Segurança do Trabalho com Ministério do Trabalho e Emprego.
Bombeiro Civil.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO: carga horária de 6,0 horas.

• Informações sobre as condições e meio ambiente de trabalho.
• Riscos inerentes a sua função.
• Uso adequado e inspeção dos Equipamentos de Proteção Individual-EPI. 
• Informações sobre os Equipamentos de Proteção Coletiva-EPC existente no local da obra. 
• Noções básicas de Primeiros Socorros; Regaste e Reanimação Cardiopulmonar.
• Trabalho em Altura.
• Riscos de acidentes em Trabalho em Altura.
• Riscos Elétricos.


CURSO DE CALDEIRAS E VASOS DE PRESSÃO ( NR-13 )
INSTRUTORES QUALIFICADOS E HABILITADOS:
Engenheiro Eletricista com CREA / Engenheiro de Segurança do Trabalho com CREA.
Técnico de Segurança do Trabalho com Ministério do Trabalho e Emprego.
Bombeiro Civil.

Objetivo

O treinamento de NR13 – Caldeiras e Vasos de Pressão tem por objetivo orientar os trabalhadores quanto a operações com Segurança em Caldeiras e Vasos de Pressão, estabelecendo requisitos compulsórios relativos a projeto, operação, manutenção e inspeção de caldeiras e vasos de pressão. Esse treinamento está de acordo com a Portaria nº 23 de 27 de dezembro de 1994 - Ministérios do Trabalho e Emprego .


CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
carga horária 40,0 horas.

• Disposições Gerais.
• Instalação de Caldeiras a Vapor.
• Segurança na operação e manutenção de caldeiras.
• Inspeção de Segurança em Caldeiras.
• Instalação de Vasos de Pressão.
• Segurança na operação e manutenção de vasos de pressão.
• Inspeção de segurança em vasos de pressão.


CURSOS TRANSPORTES, MOVIMENTAÇÃO, ARMAZENAGEM E MANUSEIO DE MATERIAIS( NR-11 )
INSTRUTORES QUALIFICADOS E HABILITADOS:
Engenheiro Eletricista com CREA / Engenheiro de Segurança do Trabalho com CREA.
Técnico de Segurança do Trabalho com Ministério do Trabalho e Emprego.
Bombeiro Civil.


CONTEÚDO PROGRAMÁTICO: 

11.1. Normas de segurança para operação de elevadores, guindastes, transportadores industriais e máquinas transportadoras.
11.1.3. Os equipamentos utilizados na movimentação de materiais, tais como ascensores, elevadores de carga, guindastes, monta-carga, pontes-rolantes, talhas, empilhadeiras, guinchos, esteiras-rolantes, transportadores de diferentes tipos, serão calculados e construídos de maneira que ofereçam as necessárias garantias de resistência e segurança e conservados em perfeitas condições de trabalho.
11.1.3.1. Especial atenção será dada aos cabos de aço, cordas, correntes, roldanas e ganchos que deverão ser inspecionados, permanentemente, substituindo-se as suas partes defeituosas.
11.1.3.2. Em todo o equipamento será indicado, em lugar visível, a carga máxima de trabalho permitida.
11.1.3.3. Para os equipamentos destinados à movimentação do pessoal serão exigidas condições especiais de segurança. (111.006-3 / I1)
11.1.4. Os carros manuais para transporte devem possuir protetores das mãos.
11.1.5. Nos equipamentos de transporte, com força motriz própria, o operador deverá receber treinamento específico, dado pela empresa, que o habilitará nessa função.
11.1.6. Os operadores de equipamentos de transporte motorizado deverão ser habilitados e só poderão dirigir se durante o horário de trabalho portarem um cartão de identificação, com o nome e fotografia, em lugar visível.
11.1.6.1. O cartão terá a validade de 1 (um) ano, salvo imprevisto, e, para a revalidação, o empregado deverá passar por exame de saúde completo, por conta do empregador.
11.1.7. Os equipamentos de transporte motorizados deverão possuir sinal de advertência sonora (buzina).
11.1.8. Todos os transportadores industriais serão permanentemente inspecionados e as peças defeituosas, ou que apresentem deficiências, deverão ser imediatamente substituídas.
11.1.9. Nos locais fechados ou pouco ventilados, a emissão de gases tóxicos, por máquinas transportadoras, deverá ser controlada para evitar concentrações, no ambiente de trabalho, acima dos limites permissíveis.
11.1.10. Em locais fechados e sem ventilação, é proibida a utilização de máquinas transportadoras, movidas a motores de combustão interna, salvo se providas de dispositivos neutralizadores adequados.


CURSO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS ( NR-12 )
INSTRUTORES QUALIFICADOS E HABILITADOS:
Engenheiro Eletricista com CREA / Engenheiro de Segurança do Trabalho com CREA.
Técnico de Segurança do Trabalho com Ministério do Trabalho e Emprego.
Bombeiro Civil.

Objetivo

Conhecer e aplicar as medidas de controle estabelecidas na NR 12, para o cumprimento das condições mínimas exigíveis garantindo a segurança e integridade física dos operadores de máquinas e equipamentos, em suas diversas etapas, incluindo projeto e utilização sem prejuízo da observância do disposto nas demais Normas Regulamentadoras


CONTEÚDO PROGRAMÁTICO: 
carga horária 20,0 horas.

- Descrição e identificação dos riscos associados com cada máquina e equipamento e
  as proteções especificas contra cada um deles.
- Funcionamento das proteções; como e por que devem ser usadas.
- Equipamentos Elétricos de Segurança e Equipamentos Hidráulicos de Segurança;
- Como e em que circunstâncias uma proteção pode ser removida, e por quem, sendo
na maioria dos casos, somente o pessoal de inspeção ou manutenção.
- O que fazer, por exemplo, contatar o supervisor, se uma proteção foi danificada ou se
perdeu sua função, deixando de garantir uma segurança adequada.
- Os princípios de segurança na utilização da máquina ou equipamento.
- Segurança para riscos mecânicos, elétricos e outros relevantes.
- Permissão de trabalho.
- Sistema de bloqueio de funcionamento da máquina e equipamento durante operações de inspeção, limpeza,   lubrificação e manutenção.
- Principais áreas de perigo.
- Medidas e dispositivos de segurança para evitar acidentes.
- Proteções - portas, e distancias de segurança.
- Exigências mínimas de segurança previstas nesta Norma e na NR 10.
- Comando manual e bi-manual.
- Introdução a Análise de Acidentes.


CURSO EPI-EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL ( NR-6 )
INSTRUTORES QUALIFICADOS E HABILITADOS:
Engenheiro Eletricista com CREA / Engenheiro de Segurança do Trabalho com CREA.
Técnico de Segurança do Trabalho com Ministério do Trabalho e Emprego.
Bombeiro Civil.

Objetivo

O curso de EPI – Equipamento de Proteção Individual tem como objetivo orientar e treinar o trabalhador sobre informações básicas do uso do EPI, visando também servir de material didático de apoio para os empregadores atenderem à NR- 6 e NR-1.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO: 
carga horária 8,0 horas.

- INTRODUÇÃO.
- COMPETÊNCIAS.
- QUEM E COMO DEVE RECOMENDAR AO EMPREGADOR O USO DO EPI.
- E SE A EMPRESA NÃO POSSUI TÉCNICO DE SEGURANÇA E CIPA.
- CARACTERÍSTICAS DOS EPI;
- SOBRE OS EPIs PARA OS PÉS;
- SOBRE OS EPIs PARA OS DEDOS, MÃOS, BRAÇOS;
- SOBRE OS CINTOS DE SEGURANÇA;
- SOBRE A PROTEÇÃO DA CABEÇA;
- SOBRE A PROTEÇÃO AUDITIVA;
- SOBRE A PROTEÇÃO DOS OLHOS E FACE;
- SOBRE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO RESPIRATÓRIA;
- RESPONSABILIDADES DO EMPREGADOR;
- RESPONSABILIDADES DO TRABALHADOR;
- RESPONSABILIDADES DE FABRICANTES E/OU IMPORTADORES;
- CA – CERTIFICADO DE APROVAÇÃO;
- EPC – EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO COLETIVA;

Cursos de Trabalho em Espaços Confinados (NR-33)

• TRABALHADORES AUTORIZADOS E VIGIAS - carga horária de 16,0 horas.

• SUPERVISORES - carga horária de 40,0 horas.

• INSTRUTORES QUALIFICADOS E HABILITADOS:

- Engenheiro Eletricista com CREA / Engenheiro de Segurança do Trabalho com CREA.
- Técnico de Segurança do Trabalho com Ministério do Trabalho e Emprego.
- Bombeiro Civil.

Conteúdo Programático:

Identificação, avaliação e controle de riscos em Espaços Confinados.
Sistema de ventilação em Espaços Confinados.
Equipamentos de monitoração e calibração.
Equipamentos de proteção individual; Equipamentos de proteção coletiva.
Equipamentos de proteção respiratória.
Noções de Primeiros Socorros:
Manobras de Avaliação Primária e Reanimação Cardiorrespiratória.
Procedimento Operacional Padrão: Análise e avaliação dos possíveis cenários de emergência a partir de um determinado espaço confinado; adequação de equipamentos e procedimentos para a maximização da segurança dos trabalhadores.
Permissão de Trabalho em Espaços Confinados.
Resgate em Espaços Confinados.
Riscos Elétricos.
Trabalho em Altura em Espaços Confinados.


Curso de Segurança e Saúde no Trabalho com Inflamáveis e Combustíveis ( NR-20 )

INSTRUTORES QUALIFICADOS E HABILITADOS:

Engenheiro Eletricista com CREA / Engenheiro de Segurança do Trabalho com CREA.
Técnico de Segurança do Trabalho com Ministério do Trabalho e Emprego.
Bombeiro Civil.

Conteúdo programático:

a) Curso Integração Carga horária: 4 horas

1.Inflamáveis: características, propriedades, perigos e riscos;
2. Controles coletivo e individual para trabalhos com inflamáveis;
3. Fontes de ignição e seu controle;
4. Procedimentos básicos em situações de emergência com inflamáveis.

b) Curso Básico Carga horária: 8 horas

I) Conteúdo programático teórico:

1.Inflamáveis: características, propriedades, perigos e riscos;
2. Controles coletivo e individual para trabalhos com inflamáveis;
3. Fontes de ignição e seu controle;
4. Proteção contra incêndio com inflamáveis;
5. Procedimentosbásicos em situações deemergência com inflamáveis;

II) Conteúdo programático prático:

Conhecimentos e utilização dos sistemas de segurança contra incêndio com inflamáveis.

c) Curso Intermediário Carga horária: 16 horas

I) Conteúdo programático teórico:

1.Inflamáveis: características, propriedades, perigos e riscos;
2. Controles coletivo e individual para trabalhos com inflamáveis;
3. Fontes de ignição e seu controle;
4. Proteção contra incêndio com inflamáveis;
5. Procedimentos em situaçõesde emergência com inflamáveis;
6. Estudo da Norma Regulamentadora n.º 20;
7. AnálisePreliminar dePerigos/Riscos: conceitos e exercícios práticos;
8. Permissão para Trabalho com Inflamáveis.

II) Conteúdo programático prático:

Conhecimentos e utilização dos sistemas de segurança contra incêndio com inflamáveis.

d) Curso Avançado I Carga horária: 24 horas

I) Conteúdo programático teórico:
1.Inflamáveis: características, propriedades, perigos e riscos;
2. Controles coletivo e individual para trabalhos com inflamáveis;
3. Fontes de ignição e seu controle;
4. Proteção contra incêndio com inflamáveis;
5. Procedimentos em situaçõesde emergência com inflamáveis;
6. Estudo da Norma Regulamentadora n.º 20;
7. Metodologias de Análise de Riscos: conceitos e exercícios práticos;
8. Permissão para Trabalho com Inflamáveis;
9. Acidentes com inflamáveis: análise de causas e medidas preventivas;
10. Planejamento de Respostaa emergências com Inflamáveis;

II) Conteúdo programático prático:

Conhecimentos e utilização dos sistemas de segurança contra incêndio com inflamáveis.

e) Curso Avançado II Carga horária: 32 horas

I) Conteúdo programático teórico:
1.Inflamáveis: características, propriedades, perigos e riscos;
2. Controles coletivo e individual para trabalhos com inflamáveis;
3. Fontes de ignição e seu controle;
4. Proteção contra incêndio com inflamáveis;
5. Procedimentos em situaçõesde emergência com inflamáveis;
6. Estudo da Norma Regulamentadora n.º 20;
7. Metodologias de Análise de Riscos: conceitos e exercícios práticos;
8. Permissão para Trabalho com Inflamáveis;
9. Acidentes com inflamáveis: análise de causas e medidas preventivas;
10. Planejamento de Respostaa emergências com Inflamáveis;
11. Noções básicas de segurança de processo da instalação;
12. Noções básicas de gestão de mudanças.

II) Conteúdo programático prático:

Conhecimentos e utilização dos sistemas de segurança contra incêndio com inflamáveis.

A.V.C.B. - AUTO DE VISTORIA DO CORPO DE BOMBEIROS:
1) Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros é o documento emitido pelo Corpo de Bombeiros, certificando que, durante a vistoria, a edificação possuía as condições de segurança contra incêndio (É um conjunto de medidas estruturais, técnicas e organizacionais integradas para garantir a edificação um nível ótimo de proteção no segmento de segurança contra incêndios e pânico), previstas pela legislação e constantes no processo, estabelecendo um período de revalidação.

Esta aprovação é baseada na análise prévia do projeto do edifício, só consegue o "Habite-se" da Prefeitura local, se possuir a aprovação do Corpo de Bombeiros (AVCB) conforme exposto pelo artigo 9º do Decreto Estadual nº 46.076/01 que diz:

- Em que caso é obrigatório o A.V.C.B.:

- Construção e reforma;
- Mudança da ocupação ou uso;
- Ampliação da área construída;
- Regularização das edificações e áreas de risco;
- Construções provisórias.

- Em que casos não é obrigatório o A.V.C.B.:

- Residências exclusivamente unifamiliares;
- Residências exclusivamente unifamiliares localizadas no pavimento superior de
ocupação mista, com até dois pavimentos e que possuam acessos independente.

- O que é Processo de Segurança Contra Incêndio (Projeto):

- Processo de Segurança Contra Incêndio: é a documentação que contém os elementos formais
exigidos pelo Corpo de Bombeiros na apresentação das medidas de segurança contra incêndio
de uma edificação e áreas de risco que devem ser projetadas para avaliações em análise técnica.

2) Formação e Treinamento de Brigada de Incêndio, conforme NR-23 da Portaria 3214/78
da CLT.

LAUDO ELÉTRICO ( NR-10 )

Laudos de enquadramentos das instalações elétricas: NR-10 - Portaria 3214/78 - Ministério
do Trabalho e Emprego.

De acordo com as normas técnicas brasileiras:

NBR-5410 da ABNT (Instalações elétricas de baixa tensão).
NBR-14039 da ABNT (Instalações elétricas de média tensão).
NR-10 (Segurança em Instalações e Serviços de Eletricidade).

Este laudo é realizado de forma detalhada e metódica por nosso engenheiro elétrico credenciado no CREA, avaliando todas as instalações e serviços em eletricidade de sua empresa.
Um laudo técnico especializado garantirá à sua empresa maior segurança e tranquilidade.

• PRINCIPAIS CLIENTES:

. ASSOCIAÇÃO VICENTINA DE VILA MASCOTE
. ASSOCIAÇÃO VICENTINA DE SÃO PAULO
. BR DISTRIBUIDORA - AEROPORTO DE CONGONHAS
. BR DISTRIBUIDORA - AEROPORTO DE GUARULHOS
. GIROFLEX FORMA
. UNICOOPERS-COOPERATIVA UNIFICADA DE TRANSPORTE COLETIVO E URBANO
  DE PASSAGEIROS DE SÃO PAULO
. SÓLLITTA SERVIÇOS
. ZÊNEGA TECNOLOGIA E SERVIÇOS


LAUDO ERGONÔMICO ( NR-17 )

O que é Laudo Ergonômico?

O Laudo ou Análise ergonômica é um documento obrigatório a todas às empresas que
possuem empregados, cujas atividades ou operações os expõem a riscos, que por sua
natureza ou métodos de trabalho, impliquem em esforços de levantamento, transporte e
descarga individual de materiais, ou outros que exigem postura forçada e ainda, esforços
repetitivos.

Qual o objetivo do Laudo Ergonômico?

O objetivo principal do laudo ou análise ergonômica é identificar os riscos ergonômicos,
bem como recomendar as intervenções e ou adaptações necessárias, seja no ambiente de
trabalho, mobiliário, máquinas, equipamentos e ferramentas, ou nos processos de trabalho,
de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente, além
de preservar a saúde do trabalhador e em especial as prevenir o acometimento das LER/DORT
(Lesões por Esforços Repetitivos/Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho).

Como são avaliados os riscos dos ambientes de trabalho?

Os Riscos dos ambientes de trabalho são avaliados de forma qualitativa, procedendo-se
em seguida, o enquadramento de acordo com os dispositivos legais.

Quem é o responsável pela elaboração e assinatura do Laudo de Ergonômico?

É o Engenheiro de Segurança do Trabalho legalmente habilitado na área de segurança do
trabalho e devidamente credenciado junto ao CREA - Conselho Regional de Engenharia.

Por quanto tempo deve ser guardado o Laudo ergonômico?

Os dados deverão ser mantidos por um período mínimo de 20 (vinte) anos.

Qual é a obrigatoriedade das empresas possuírem o Laudo Ergonômico?

A Norma Regulamentadora - NR-17 - Ergonomia (Lei nº 6514/77 - Portaria nº 3751/90)
estabelece a obrigatoriedade da elaboração e implementação, por parte de todas as
empresas que admitam empregados que estejam expostos a riscos ergonômicos.

LAUDO DE PARA-RÁIOS

LAUDO DE PARA-RAIOS: SPDA (SISTEMAS DE PROTEÇÃO DE ESTRUTURAS CONTRA DESCARGAS ATMOSFÉRICAS).

Elaboração de Laudo de Avaliação do Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas
(Para-raios) de acordo com a Norma Brasileira da ABNT (Associação Brasileira de Normas
Técnicas) NBR 5419/2005. Este laudo será elaborado por um Engenheiro Eletricista
credenciado no CREA.

O Laudo de Para-raios tem por finalidade proteger as instalações estruturais da edificação,
bem como os transeuntes daquele local; trata-se de exigência do MINISTÉRIO DO TRABALHO
E EMPREGO, CONTRU (PMSP) e CORPO DE BOMBEIROS.

No laudo consta a medição ôhmica da rede de aterramento do sistema SPDA e um relatório
com as adequações a serem providenciadas.

• PRINCIPAIS CLIENTES:

. ASSOCIAÇÃO VICENTINA DE VILA MASCOTE
. ASSOCIAÇÃO VICENTINA DE SÃO PAULO
. BR DISTRIBUIDORA - AEROPORTO DE CONGONHAS
. BR DISTRIBUIDORA - AEROPORTO DE GUARULHOS
. GIROFLEX FORMA
. SÓLLITTA SERVIÇOS


Elaboração de Laudo Técnico Estrutural Civil e Elétrico ( NBR-5410, NBR-5419, NR-10)

Elaboração de Laudo Técnico Estrutural Cívil e Elétrico.
Avaliações antes da execução das obras. Solicitado pelas Prefeituras, Corpo de
Bombeiros e Seguradoras.

Contato

Fale Conosco

Preencha nosso Formulário, entraremos em contato o mais
breve possível, obrigado por estar em nosso site.

Nome
Telefone
E-mail
Assunto
Mensagem




PCMAT - Programa de Condições do Meio Ambiente de Trabalho na Construção Civil (NR-18)
É um Programa obrigatório para todos os estabelecimentos com 20 (vinte) trabalhadores (empregados e terceirizados).

Este Programa é elaborado segundo as exigências contidas no PPRA - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais e objetiva o reconhecimento, avaliação dos riscos encontrados nesta atividade laboral.

Os documentos que integram o PCMAT são:
Memorial sobre as condições e meio ambiente do trabalho;
Projeto da execucão das proteções coletivas;
Especificação técnica das proteções coletivas;
Cronograma de implantação das medidas preventivas;
Layout inicial do canteiro da obra;
Programa educativo sobre acidentes e doenças do trabalho.


PCMSO - PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL (NR-7):

EXAMES NO CONSULTÓRIO OU IN CAMPANY:

- ADMISSIONAIS

- PERIÓDICOS

- DEMISSIONAL

- AUDIOMÉTRICO

- EXAMES ESPECIFICOS


PPP - Perfil Profissiográfico Previdenciário

Perfil Profissiográfico Previdenciário - PPP

O Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP) é um formulário com campos a serem
preenchidos com todas as informações relativas ao empregado, como por exemplo, a
atividade que exerce o agente nocivo ao qual está exposta, a intensidade e a concentração
do agente, exames médicos clínicos, além de dados referentes à empresa.

O formulário deve ser preenchido pelas empresas que exercem atividades que exponham
seus empregados a agentes nocivos químicos, físicos, biológicos ou associação de agentes
prejudiciais à saúde ou à integridade física (origem da concessão de aposentadoria especial
após 15, 20 ou 25 anos de contribuição). Além disso, todos os empregadores e instituições
que admitam trabalhadores como empregados do Programa de Prevenção de Riscos
Ambientais e do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional, de acordo com
Norma Regulamentadora nº 9 da Portaria nº 3.214/78 do MTE, também devem
preencher o PPP.

O PPP deve ser preenchido para a comprovação da efetiva exposição dos empregados a
agentes nocivos, para o conhecimento de todos os ambientes e para o controle da saúde
ocupacional de todos os trabalhadores.


PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (NR-9):

Do objeto e campo de aplicação:

Esta Norma Regulamentadora estabelece a obrigatoriedade da elaboração e implementação,
por parte de todos os empregadores e instituições que admitam trabalhadores como
empregados, do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais - PPRA, visando à
preservação da saúde e da integridade dos trabalhadores, através da antecipação,
reconhecimento, avaliação e consequente controle da ocorrência de riscos ambientais
existentes ou que venham a existir no ambiente de trabalho, tendo em consideração
a proteção do meio ambiente e dos recursos naturais.

As ações do PPRA devem ser desenvolvidas no âmbito de cada estabelecimento da empresa,
sob a responsabilidade do empregador, com a participação dos trabalhadores, sendo sua
abrangência e profundidade dependentes das características dos riscos e das necessidades
de controle.

O PPRA é parte integrante do conjunto mais amplo das iniciativas da empresa no campo da
preservação da saúde e da integridade dos trabalhadores, devendo estar articulado com o
disposto nas demais Normas Regulamentadoras, em especial com o Programa de Controle
Médico de Saúde Ocupacional - PCMSO previsto na NR-7.

Para efeito desta NR, consideram-se riscos ambientais os agentes físicos, químicos e
biológicos existentes nos ambientes de trabalho que, em função de sua natureza, concentração
ou intensidade e tempo de exposição, são capazes de causar danos à saúde do trabalhador.

Consideram-se agentes físicos as diversas formas de energia a que possam estar expostos
os trabalhadores, tais como: ruído, vibrações, pressões anormais, temperaturas extremas,
radiações ionizantes, radiações não ionizantes, bem como o infra-som e o ultra-som.

Consideram-se agentes químicos as substâncias, compostos ou produtos que possam
penetrar no organismo pela via respiratória, nas formas de poeiras, fumos, névoas, neblinas,
gases ou vapores, ou que, pela natureza da atividade de exposição, possam ter contato ou ser
absorvidos pelo organismo através da pele ou por ingestão.

Consideram-se agentes biológicos as bactérias, fungos, bacilos, parasitas, protozoários,
vírus, entre outros.

O Programa de Prevenção de Riscos Ambientais deverá incluir
as seguintes etapas:


a) antecipação e reconhecimentos dos riscos;
b) estabelecimento de prioridades e metas de avaliação e controle;
c) avaliação dos riscos e da exposição dos trabalhadores;
d) implantação de medidas de controle e avaliação de sua eficácia;
e) monitoramento da exposição aos riscos;
f) registro e divulgação dos dados.

Do nível de ação:

Para os fins desta NR, considera-se nível de ação o valor acima do qual devem ser iniciadas
ações preventivas de forma a minimizar a probabilidade de que as exposições a agentes
ambientais ultrapassem os limites de exposição. As ações devem incluir o monitoramento
periódico da exposição, a informação aos trabalhadores e o controle médico.

LTCAT - Laudo Técnico de Condições Ambientais ( NR-15 )

O que é o LTCAT?

O Laudo Técnico de Condições Ambientais de Trabalho (LTCAT) é um documento técnico,
de caráter pericial, que registra as condições ambientais do trabalho. É um documento que
avalia os diversos cargos de trabalho, em uma empresa, quanto à exposição de agentes
nocivos à saúde e à segurança do trabalhador (agentes físicos, químicos e biológicos -
NR-15 e NR-16) e classifica as atividades com relação à salubridade, insalubridade,
periculosidade e percentual de pagamento e enquadramento com relação à
Aposentadoria Especial (INSS).

Como é feito o LTCAT?

São avaliados os riscos de forma qualitativa e quantitativa, procedendo-se em seguida,
o enquadramento de acordo com os parâmetros legais, em especial, referente aos
Limites de Tolerância.

Qual é a validade do LTCAT?

De acordo com a Instrução Normativa INSS/DC 078 de16/07/2002 o empregador deverá
manter o LTCAT atualizado com referências aos agentes nocivos existentes no ambiente de
trabalho de seus trabalhadores. Essa atualização deverá ser efetuada, sempre que necessário
e pelo menos uma vez ao ano.

Por quanto tempo deve ser guardado o LTCAT?

Os dados deverão ser mantidos por um período mínimo de 20 (vinte) anos. Em certos casos,
em que os trabalhadores estão expostos a substâncias cancerígenas o laudo deverá ser
mantido até 30 anos.

Qual é a obrigatoriedade das empresas possuírem o LTCAT?

O LTCAT é fundamentado na Lei nº 6.514, de 22 de dezembro de 1977, do MTE e
regulamentada pela Portaria nº 3.214, de 08 de junho de 1978, do MTE e pelo Decreto
nº 3048/99 de 12 de maio de 1999 e pela Instrução Normativa nº 99, de 10 de dezembro de
2003 do INSS. Artigos 189 a 192 da (CLT) e de acordo com o Artigo 57 da Lei 8.213/91 e
os Artigos 64 e 65 do Decreto Lei nº 3048/99.

A emissão deste documento é de responsabilidade do Médico do Trabalho ou do Engenheiro
de Segurança do Trabalho por prerrogativa decorrente da Constituição Federal e também pela
redação do Artigo 195 da CLT – Consolidação das Leis de Trabalho.